Como ocorre a oscilação do Bitcoin? Bitcoin

Como ocorre a oscilação do Bitcoin?

Guto Schiavon

Se você está interessado em um investimento ousado, em algo novo, fora do esquema quadrado de bancos e mercado financeiro e que não necessariamente te traga um retorno em curto prazo, você precisa conhecer melhor o Bitcoin. E muitos se perguntam como ocorre a oscilação do preço do Bitcoin.

O que é mesmo o Bitcoin?

Talvez você já tenha ouvido falar dele: uma moeda digital descentralizada, sem qualquer tipo de regulamentação, proteção ou lastro em governos ou bancos centrais de países, ela é emitida por processos matemáticos que acontecem conforme computadores se conectam em rede no sistema da moeda. A quantidade de moedas emitidas, no entanto, nunca vai exceder os 21 milhões de bitcoins por programação de computador.
A rede que garante a autenticidade da moeda criada é a mesma que assegura a autenticidade das transações feitas entre usuários. O Bitcoin pode ser trocado por dinheiro comum, como o dólar ou o real, ou usado na compra de serviços e produtos em comércios online ou mesmo em lojas físicas que já o aceitam.

Como o valor do Bitcoin oscila?

Para entender como investir dinheiro em Bitcoin pode ser um bom negócio, antes de mais nada é preciso saber que o valor da moeda digital varia, e muito. Ela foi criada em 2009 e se valorizou até o pico de US$ 1 mil por um único Bitcoin em 2013. Pouco mais tarde, caiu para menos da metade desse patamar. Paulatinamente, no entanto, o Bitcoin recuperou seu valor até praticamente os US$ 1 mil em 2016.
Por ser ainda uma grande novidade, não existe um índice de volatilidade aplicável ao Bitcoin, como existem para ações em bolsa de valores ou para outras moedas, por exemplo. Mas estudiosos do assunto, tanto no Brasil quanto no exterior, já mapearam alguns fatores que provocam instabilidade no valor da moeda. Vamos a eles:

Eventuais faltas de segurança técnica da operação

Por ser uma moeda digital e dependente da rede de internet, ataques de crackers poderosos podem causar abalos e desvalorizações. Em um dos mais rumorosos casos, a casa de câmbio japonesa MtGox entrou com pedido de falência após alegar ter tido 750 mil bitcoins roubados por piratas virtuais. A cada vez que isso acontece, costuma espantar investidores e derrubar um pouco o valor da moeda.

Controles de capitais

O bitcoin serve como válvula de escape quando governos autoritários resolvem impor controle de capital, saída de moeda do país, limites para saques da poupança, etc. Por o bitcoin não fazer parte do sistema financeiro tradicional, não há como o governo impor limites a rede bitcoin, portanto, como ocorreu no caso da Grécia, o bitcoin se valorizou quando uma grande quantidade de gregos começaram a conhecer a criptomoeda como alternativa ao dinheiro extremamente regulado. O mesmo também ocorreu na China, quando as bolsas começaram a cair e o governo impôs limites ao mercado, como mostra o Jornal Econômico.

Insegurança em relação à regulação imposta por países ao Bitcoin

Por sua característica digital, as autoridades fiscais de muitos países advogam que a moeda seria especialmente útil para encobrir crimes de lavagem de dinheiro para o tráfico de drogas e evasão de divisas.
Em 2014, a Rússia, por exemplo, passou a considerar suspeita qualquer transação com Bitcoin. Essa ideia é muito mais um mito do que uma realidade. Ainda assim, sempre que existe alguma regulação no horizonte, isso cria um sentimento ruim no mercado.

Aceitação da moeda por grandes instituições e empresas

Embora o bitcoin ainda seja pouco aceito por empresas, isso vem melhorando bastante.  No Brasil, ainda há menos de 200 lojas que aceitam bitcoins. No Japão, ela é amplamente usada, enquanto na Europa e nos Estados Unidos sua aceitação tem aumentado, mas ainda é baixa.
Como o número de empresas ainda é baixo, uma nova empresa aceitando bitcoin pode ajudar a dar confiança na criptomoeda, fazendo com que sua cotação aumente. É o caso, por exemplo, de quando a Dell USA passou a aceitar bitcoin na compra de equipamento. A cotação da moeda chegou a subir 15$ poucos minutos após o anuncio no Twitter.
O mesmo efeito também ocorre quando uma grande instituição fala de forma positiva sobre bitcoin & blockchain, como frequentemente acontece com o Fórum Econômico Mundial ou o Banco Central Inglês.
Apesar das oscilações, o bitcoin vem se tornando menos volátil a cada mês e economistas acreditam que o Bitcoin tende à estabilidade conforme mais usuários se interessarem a participar do sistema, tornando-o mais aceito, menos regulado e mais seguro, como você pode conferir no artigo do economista Fernando Ulrich.
Pretende iniciar investimentos em Bitcoin? Tem dúvidas sobre o que fazer? Deixe-nos um comentário e participe desse debate!