Desvendando 5 mitos do Bitcoin no Brasil Bitcoin

Desvendando 5 mitos do Bitcoin no Brasil

Guto Schiavon

O Bitcoin não é apenas uma moeda digital, é toda uma rede financeira digital e sem fronteiras, que como as demais possui dinheiro, cotações, transações e câmbio. Porém, diferentemente das outras, não tem intermediadores ou unidade centralizadora em camada alguma, como é o nosso Banco Central para o real, por exemplo. E como consequência de algo relativamente novo, ligado a dinheiro e com características muito particulares, há diversos mitos sobre os Bitcoins no Brasil.

Internautas podem adquirir o Bitcoin através de troca com outros usuários, compra em uma plataforma exchange confiável ou ainda minerando blocos para extração de valores. Neste último caso, é necessário que se tenha um hardware muito potente e um grande capital inicial para investir — mesmo assim, leva tempo para minerar pelo menos uma moeda, atualmente cotada em pouco menos de R$ 2 mil.
No post de hoje você irá descobrir alguns mitos sobre os Bitcoins! Vamos conhecê-los?

É possível ter Bitcoins gratuitamente

É verdade que acabamos de falar como obter a moeda, mas há quem pensa que se pode tê-las de graça, muitas vezes por conta da mineração ou sites que prometem dar bitcoins.

Primeiramente, elas são dinheiro — o que nunca é dado. E a mineração não é barata. Um bom hardware, com potência suficiente para a atividade, custa milhares de reais. Além disso, é necessário uma cerca experiência e conhecimento, o que custa dinheiro. Deixando a  mineração de lado, existem sites que prometem dar bitcoins de graça em troca de você preencher códigos captcha. De fato os sites te dão bitcoins, mas o valor é muito irrisório e se você calcular o tempo gasto preenchendo os captchas, você verá que não vale a pena.

A única maneira de obter bitcoins gratuitamente, é se cadastrando na Foxbit e ganhando o bônus de 0.001btc  (≈ R$2) para começar a testar a plataforma.

Bitcoins facilitam atividades ilícitas

O dinheiro centralizado é usado em escala mundial para atividades ilícitas. Nem por isso é um facilitador. O mesmo ocorre com a moeda digital.

Obviamente, pode ser utilizada para compras de itens ilícitos, porém, não foi desenvolvido para isso e não tem ligação direta com ações obscuras mediadas na internet.

Podem dizer que o bitcoin facilita atividades ilegais, mas devemos lembrar que ele também facilita atividades humanitárias. Por ser global e com baixas taxas de transação, o bitcoin é muito usado por ONGS ao redor do mundo, para receber doações sem ter que pagar muitas taxas para intermediários.

Bitcoin é ilegal no Brasil

Não! Bitcoin não é ilegal no Brasil. Aliás, são pouquíssimos países que são hostis ao bitcoin. Confira no BitLegal:
mapasBitlegal

De acordo com a própria Receita Federal, o bitcoin deve ser declarado no Imposto de Renda de Pessoa Física. No próprio Manual do IRPF 2016, consta instruções de como fazer a declaração.

Bitcoins no Brasil são inúteis

É inegável que a utilização direta da moeda no Brasil ainda difícil, pois poucas empresas brasileiras aceitam essa forma de pagamento. Todavia, iniciativas estão acontecendo para que esse cenário mude rapidamente.

Recentemente, a primeira pulseira de pagamentos do Brasil, ATAR, disse em um vídeo que poderia aceitar bitcoin em breve. Isso faria com que você pudesse gastar seus bitcoins em 85% das maquinhas de cartão do Brasil.

Além da ATAR, a empresa PagPop também oferece um aplicativo que permite mais de 15mil comerciantes aceitarem bitcoin em seus negócios. Estamos trabalhando com eles para mapearmos todos esses locais. Aguarde!

Bitcoin é um esquema de pirâmide

Devido a volatilidade do seu preço, do alto valor unitário e também de alguns casos onde pessoas ganharam muito dinheiro com a moeda, o bitcoin é acusado de ser um esquema de pirâmide, o famoso esquema ponzi, criado por Charles Ponzi, na década de 1920.

Diferente desses esquemas, onde o fundador precisa convencer novos entrantes, o bitcoin simplesmente foi criado e publicado em um fórum de criptografia. Satoshi Nakamoto, pseudônimo do desconhecido criador do bitcoin, não prometia lucros, não convencia pessoas a comprar a moeda ou começar a minerar. Ele simplesmente continuou o desenvolvimento do protocolo, mesmo sem a adoção do mercado.

No esquema de pirâmide, é necessário que tenham novos entrantes para pagar os investidores passados, o que não é o caso do bitcoin. Não é necessário que novas pessoas comecem a minerar ou participem da rede para que ela continue funcionando, a rede independente do número de utilizadores, porém, quanto mais descentralizado e replicado o protocolo for, melhor para o desempenho da rede bitcoin.

Todos esses mitos são criados e disseminados por se tratar de uma novidade, que tem funcionamento não tradicional. Mas, também, a desinformação e o receio de quem nunca teve contato são fortes geradores de falsas crenças. E, por fim, algumas vantagens e desvantagens acabam sendo semelhantes do dinheiro comum, bem como as formas de uso.

Quer saber mais sobre os Bitcoins no Brasil e como investir neles com segurança? Entre em contato conosco e conte com nossa experiência nesse mercado.