Ethereum 2.0 – O que é? Quando será lançada e como comprar? Ethereum

Ethereum 2.0 – O que é? Quando será lançada e como comprar?

O Ethereum 2.0 será uma reestruturação da maior plataforma de contratos inteligentes do mundo, o Ethereum. Muitas mudanças serão feitas e algumas podem te ajudar a rentabilizar o Ethereum que você tem parado.

Quais são os pontos positivos e negativos do Ethereum 2.0? Quais as mudanças? E o roadmap? Vamos falar sobre tudo isso e esclarecer as principais dúvidas.

Tudo sobre o Ethereum 2.0:

  • O que é o Ethereum 2.0?
  • Quais as diferenças entre o Ethereum e o Ethereum 2.0?
  • Quando será lançado o Ethereum 2.0? E o roadmap?
  • Como comprar o Ethereum 2.0? E o que esperar?

O que é o Ethereum 2.0?

O Ethereum 2.0 é a próxima grande atualização de protocolo que está sendo desenvolvida para melhorar o uso da rede, trazendo mais escalabilidade e facilidade de desenvolvimento.

Quais as diferenças entre o Ethereum e o Ethereum 2.0?

As diferenças entre o Ethereum e o Ethereum 2.0 são muitas, dentre elas temos:

  • Mudança do algoritmo de consenso; 
  • Remodelação da estrutura da rede;
  • Modificação da política monetária.

Vamos falar detalhadamente sobre cada uma, então acompanha a gente até o final para tirar todas suas dúvidas.

Mudança no consenso da rede:

A primeira e maior mudança vista pelos usuários será na forma com que o Ethereum valida os blocos no blockchain. 

Atualmente, os blocos do Ethereum são mineradoras por Prova-de-Trabalho (PoW), ou seja, é necessário grande poder computacional para incluir blocos na rede. Com a atualização do Ethereum 2.0 completa, a situação mudará e os blocos serão validados por “Prova de Quantidade” (PoS), bastando que o usuário tenha a quantidade de 32 ETH e habilidades técnicas para montar um servidor que ajude a rede.

Remodelação da rede

Em vez da ideia de ser um computador único descentralizado para o mundo, o Ethereum terá uma estrutura de diversos “mini-computadores” integrados em uma rede principal. A rede será separada em shards. 

Mas o que é o sharding?

É o termo que descende da ciência da computação e significa o particionamento de um banco de dados em múltiplas máquinas. Quando se trata de blockchain, em termos simples, o sharding significa fracionar a rede de uma criptomoeda em vários blockchains interligados.

Modificação na política monetária:

A política monetária do Ethereum também mudará completamente. Nas primeiras fases do Ethereum 2.0 teremos duas redes separadas gerando recompensas tanto para quem minera via Prova de Trabalho, quanto para quem valida os blocos via Prova de Quantidade.

Isso significa que teremos os mesmos 2 Ethers por bloco na mineração, somados a uma quantidade variável de Ether gerado na cadeia com PoS. Isso ocorrerá até o Ethereum comum se integrar no Ethereum 2.0 (veja mais abaixo sobre as fases do upgrade).

A tabela a seguir mostra a quantidade de Ether que será criada na cadeia de PoS. Os valores são determinados de acordo com a quantidade de validadores, a ideia é que haja incentivo suficiente para que os usuários migrem para a nova versão.

Quando será lançado o Ethereum 2.0? E o roadmap?

Desde o lançamento do Ethereum em 2015 já é discutido uma atualização do protocolo que pudesse aumentar a capacidade de transações na rede.

Frontie, Homestead e Metropolis foram as primeiras épocas e atualizações do ETH, agora entraremos na Serenity com o Ethereum 2.0.

A Serenity será dividida em sub-atualizações que explicaremos em detalhe nos próximos tópicos.

Fase 0 da Serenity: A vinda dos validadores

Implementará a “Beacon Chain” que terá a Prova de Quantidade (Proof of Stake) e permitirá transacionar o ether da cadeia antiga para a nova.

Inicialmente, o Ethereum 2.0 será lançado sem a possibilidade de enviar transações, criar smart contracts ou até mesmo guardar dados dos usuários. Simplesmente será uma cadeia de testes para validar e coordenar o funcionamento dos validadores.

As transações continuarão acontecendo normalmente no “Ethereum 1.0” e não será permitido o envio de ether de volta ao Ethereum assim que ele for transferido para a beacon chain.

Fase 1: O esperado sharding

Desde que a beacon chain esteja funcionando perfeitamente, teremos o lançamento da funcionalidade principal de escalabilidade, o sharding.

Cada um desses blockchains será um shard, inicialmente teremos 64 deles, com a possibilidade de ampliação futura. A beacon chain servirá como uma ponte entre os shards. Nessa fase, os usuários só poderão transacionar ether sem contatos inteligentes.

Fase 1,5 e 2: O retorno dos aplicativos descentralizados (Dapps)

Na fase 1,5 teremos a integração do Ethereum com o Ethereum 2.0, ele será um dos 64 shards. É na fase 1,5 que será declarado o fim da Prova de Trabalho e o gráfico de Ether gerado ficará dessa forma:

Já na frase 2 teremos a entrada de Dapps para todos os shards, isso significa que os smart contracts serão habilitados novamente.

Novas linguagens de programação, além da Solidity, serão adicionadas ao desenvolvimento dos Dapps.

Fase 3: Os retoques finais

Essa é a fase menos definida do novo Ethereum. De acordo com Vitalik Buterin, cofundador do Ethereum, essa será a hora de adicionar novas funcionalidades como mais shards, ZK- Starks (para melhorar a privacidade da rede) e outras tecnologias que ainda estão sendo desenvolvidas.

Quanto tempo até a finalização do Ethereum 2.0?

Segundo Buterin, o desenvolvimento deste roadmap poderá durar de 5 a 10 anos para ser completamente concluído. Espera-se que cada fase dure entre 6 e 8 meses, contudo, o time de desenvolvimento da criptomoeda ficou famoso por atrasar prazos nos últimos anos.

Onde comprar o Ethereum 2.0? 

A ideia de ter duas redes separadas e com diferentes tokens pode resultar na diferença de preço do Ether travado no Ethereum 2.0 do Ether na cadeia de PoW. Por isso, podemos esperar até mesmo o surgimento de mercados negociando títulos de Ether na cadeia 2.0 por Ether na cadeia principal.

Agora, se você quiser virar um validador no Ethereum 2.0, precisará de 32 Ethers travados na nova cadeia. 

O futuro do Ethereum

Apesar dos avanços, é importante notar que muitos dos pontos da atualização ainda não foram decididos. Por exemplo, não sabemos como ocorrerá a transmissão entre shards e como ocorrerá a inclusão do Ethereum 1.0 no Ethereum 2.0.

Será uma jornada longa e arriscada, é a primeira vez que um projeto dessa envergadura adotará uma mudança tão radical de estrutura no espaço das criptomoedas. O risco é enorme de algo dar errado, assim como as recompensas deverão ser grandes se tudo ocorrer bem.

Mas lembre-se: “nunca invista mais do que você pode perder” e esteja ciente que o Ethereum 2.0 é um grande experimento envolvendo novas tecnologias, dezenas de desenvolvedores e empresas.

Esse é um guia inicial para o Ethereum 2.0, quem quiser se aprofundar pode verificar as fontes usadas para criação do artigo:

https://consensys.net/blog/blockchain-explained/the-roadmap-to-serenity-2/

https://docs.ethhub.io/ethereum-roadmap/ethereum-2.0/eth-2.0-economics/

ETHEREUM 2.0: HOW IT WORKSAND WHY IT MATTERS by Coindesk

https://medium.com/nearprotocol/the-authoritative-guide-to-blockchain-sharding-part-1-1b53ed31e060

A Foxbit utiliza cookies com o objetivo de melhorar sua experiência em nossa página web e adaptar o conteúdo para torná-lo mais útil e acessível. Para mais informações, consulte a nossa política de cookies.

×

Compre e venda criptos agora pelo app

Com ele você pode comprar e vender com agilidade e facilidade de onde estiver. Tudo o que você precisa na palma da sua mão.

BAIXE AGORA