Saiba como calcular o ROI Investimento

Saiba como calcular o ROI

Guto Schiavon

A palavra investimento remete a algo que tem planejamento de aplicação do dinheiro para gerar retorno e reduzir ao máximo os riscos envolvidos. Ou seja, o indicador que qualquer investidor busca, mesmo sem saber, é o ROI (Return On Investment).
É fundamental que todo investimento tenha seu retorno calculado. E, quando possível, é interessante até que se faça previamente uma estimativa de quanto ele será. Mas como calcular o ROI?
Mostraremos, agora, como fazer a conta e qual é sua importância. Confira!

Como calcular o ROI?

O cálculo do ROI é muito simples de ser realizado. A sua simplicidade pode ser um dos motivos pelo qual esse indicador não recebe a devida atenção, principalmente por parte de investidores. O ROI nada mais é do que o resultado do ganho obtido com o investimento realizado, desconsiderando o montante inicial investido.
Porém, o investidor não pode se esquecer de incluir todas as despesas com as quais teve de arcar antes de receber seu retorno. Até porque é preciso saber quanto foi o exato lucro direto, em valores, para apurar o ROI. Então, basta usar a fórmula lucro obtido – total investido ÷ total investido e multiplicar o número final por 100. Por exemplo:

  • investimento: R$ 10 mil;
  • ganho: R$ 32 mil;
  • margem de lucro: 60%;
  • lucro: R$ 19,2 mil;
  • cálculo: R$ 19,2 mil – R$ 10 mil ÷ R$ 10 mil;
  • ROI: 0,92 x 100 = 92%.

Ou seja, para cada real investido, foi ganho R$ 0,92, além do real recuperado.
Você pode estar se perguntando sobre o fechamento da conta, pois R$ 32 mil – R$ 19,2 mil resulta em R$ 12,8 mil. Esses R$ 2,8 mil são despesas diversas, além do capital, que ficam fora do investimento e da margem líquida de 60% — o retorno real.

Por que o ROI é importante?

O ROI é a métrica que atesta o sucesso ou fracasso de algo que foi planejado e executado, como a aplicação de dinheiro. Mas, além desse resultado final simples, o ROI também tem potencial para qualificá-lo como satisfatório ou não. E, como ferramenta de apoio, serve a outras tarefas também. Veja a seguir:

Projeção de resultados financeiros

Fazer uma previsão do retorno de capital é sempre útil, principalmente para que resultados negativos não aconteçam. Para isso, é necessário envolver todas as variáveis possíveis e não ser muito otimista em relação ao lucro, para não fugir da realidade.
Caso o cálculo já tenha sido feito anteriormente, o histórico pode ser usado para embasar o processo novo e auxiliá-lo em uma determinação realista de lucratividade.

Projeção de resultados por tempo

A lucratividade é importante. Porém, ela deve ter uma boa relação com o fator de periodicidade com a qual ocorre, pois a capacidade de gerar lucro pode não ser interessante se for demorar muito a ocorrer — principalmente se não há recursos de manutenção para todo esse longo prazo.
Além disso, um lucro líquido, se muito pequeno, precisa ser percebido rapidamente para que não se desvalorize. Então, na hipótese de uma projeção, pode-se diagnosticar a viabilidade ou a inviabilidade do investimento relacionando os elementos.
Por exemplo, quem investe em compra e venda de moedas, bitcoins ou até ações da bolsa de valores, pode ter um ganho de apenas 5% em um daytrade — a operação de um dia. É um retorno líquido real para o curtíssimo prazo. Porém, não gera lucro algum de fato em um espaço de um ano, primeiramente pela própria inflação ser superior a essa porcentagem, além de outros fatores.

O que é PRI?

O Prazo de Retorno do Investimento (PRI), conhecido como payback, também deve ser analisado. Esse indicador é similar ao retorno de investimento e tem como principal objetivo medir o tempo necessário para que o breakeven seja atingido, e o investidor possa recuperar o capital investido.
Para se calcular o PRI, basta realizar a somatória dos rendimentos acumulados, em todos os períodos, até que o valor se equipare com o montante investido. A fórmula para realizar o cálculo é bem simples, e pode ser definida por:

  • PRI = investimento total / lucro líquido

Para facilitar o entendimento, imagine que o rendimento de um investimento seja R$20 mil ao ano, e o valor aplicado seja R$40 mil. Então, o PRI seria 2,0 (40mil / 20mil).
Em outras palavras, em dois anos o investidor recuperará o montante investido, por meio de juros e do retorno do capital aplicado.

Existem outros fatores que influenciam no ROI?

Como destacado anteriormente, existem despesas diversas, além do capital investido, que podem interferir no ROI. As taxas de corretagem e a declaração do Imposto de Renda são fatores que podem impactar no rendimento do investimento.
No caso das taxas de corretagem, devem-se analisar os valores cobrados por cada uma das corretoras disponíveis no mercado. No investimento em Tesouro Direto e na Bolsa de Valores, é necessário escolher uma corretora que forneça os melhores serviços para o seu perfil de investidor, cobrando a menor taxa possível.
Já para o investimento em bitcoins, é necessário escolher uma corretora especializada nessa modalidade e que seja capaz de fornecer liquidez, agilidade e segurança aos seus investimentos, além de prover transparência em seus relatórios.
Em termos de declaração do Imposto de Renda, deve-se destacar que um informe de rendimentos, com a data de investimento, o montante investido e os respectivos rendimentos, é suficiente para se realizar a declaração.
É importante ter os extratos de transações, saber o valor pelo qual pagou para adquirir as moedas digitais, e, principalmente, a taxa de conversão de cada uma das moedas. Assim, será possível regularizar toda a sua situação, em termos de investimento em bitcoins, perante o fisco.

Quais são as vantagens e desvantagens do ROI?

Assim como qualquer outro indicador, a determinação do ROI possui algumas vantagens e desvantagens, mostrando se vale a pena ou não determiná-lo. O ROI é o melhor indicador de lucratividade, permitindo que os investidores possam analisar sua performance e possam tomar as melhores decisões possíveis.
Além disso, o processo de comparação entre diferentes tipos de investimento se torna muito mais simples de ser executado, permitindo que o investidor escolha as opções mais vantajosas. Em contrapartida, existe certa incompatibilidade ao analisar investimentos diferentes, uma vez que cada investimento possui métricas e cálculos de lucratividades específicos.
Independentemente das vantagens ou desvantagens, pode-se afirmar que o ROI é um excelente indicador para ser analisado em investimentos de curto e médio prazo. Mas, no longo prazo, ele não se torna tão eficaz assim.
O ROI não considera em seu cálculo gastos diversos que podem afetar o investimento, no longo prazo. Assim, o investidor pode ser levado a selecionar apenas investimentos com taxas de retorno elevadas, fazendo com que excelentes opções, que reduzam o ROI de sua carteira de investimentos, sejam deixados de lado.
A dica final que damos é: a melhor maneira de analisar a rentabilidade, o retorno do investimento e todos os outros indicadores e, além disso, não se preocupar quanto à segurança do investimento, declaração do imposto de renda e as taxas de corretagem se dá pela utilização de empresas especializadas.
No caso de bitcoins, por exemplo, já existem plataformas digitais que realizam a intermediação de compra e venda, garantindo a segurança necessária para que seu dinheiro seja aplicado com sucesso.
Agora você sabe como calcular o ROI? Você já apura o retorno de seus investimentos? Deixe seu comentário e participe do nosso blog!