O verdadeiro diferencial do Bitcoin Bitcoin

O verdadeiro diferencial do Bitcoin

Lucas B.
O que é bitcoin?

O Bitcoin é uma moeda digital que utiliza a tecnologia Blockchain, a qual permite que pessoas sem se conhecerem possam transacionar dinheiro ao redor do mundo sem a necessidade de uma terceira parte, ficando todas as transações registradas em um livro-razão público e auditável por qualquer pessoa. Mais sobre o que é bitcoin.
Na blockchain (tecnologia utilizada para as criptomoedas) as transações são verificadas como legítimas e confirmadas por uma rede de computadores que recebem a recompensa em Bitcoin por cada bloco minerado, no entanto, a recompensa é reduzida ao longo do tempo, o que torna mais difícil a obtenção de Bitcoin, o tornando de fato cada vez mais escasso.
Entenda como funciona a mineração de bitcoins:

Mineração de bitcoin: entenda como funciona

Caso uma pessoa ou computador malicioso queira reverter uma transação que ocorreu 1 mês atrás, seria necessário controlar 51% de uma rede de computadores distribuída pelo mundo, que possui mais poder computacional do que Google, Yahoo e Microsoft juntos, em menos de 10 minutos, que é o tempo de outro bloco ser minerado, pois todos os blocos são dependentes, e todos estão juntos em uma cadeia de blocos.
As características que o tornam um ativo único: é descentralizado, transações sem intermediários (peer-to-peer), extremamente escasso (21 milhões de unidades), maior privacidade nas transações e não ser controlado por uma pessoa ou entidade central. Além disso, ele é completamente descolado do mercado financeiro e de decisões políticas, o que torna a moeda realmente atrativa para quem anseia por maior segurança em seus ativos.

O que diferencia o Bitcoin de qualquer outra Criptomoeda?

O que realmente torna o Bitcoin único é o fato de o mesmo não possuir um rosto, um dono ou um CEO. Não se sabe até hoje quem o criou, se foi uma pessoa ou um grupo de pessoas, mesmo havendo a suspeita de que seja Nick Szabo, que possui experiência com criptografia e havia um projeto semelhante. O fato é que até hoje Satoshi Nakamoto não movimentou os seus Bitcoins, ou de fato tenha assinado uma transação com a sua chave privada, e talvez jamais vejamos novamente isso ocorrer.

Mesmo assim, pouco importa quem seja Satoshi. O fato é que nem mesmo ele é capaz de exercer controle sobre a moeda, uma vez que o seu protocolo está escrito, sendo a sua modificação possível somente através de um consenso em toda comunidade de Bitcoin, composta por detentores da moeda, mineradores e full-nodes, além disso, o voto é baseado no modelo “um computador, um voto”, o que torna o sistema de fato mais democrático, já que é possível rodar um nó que detenha toda a Blockchain em um Raspberry Pi, tornando o sistema confiável e descentralizado.
Ou seja, mesmo que uma pessoa tenha 10 milhões de Bitcoin, a mesma não conseguirá modificar o seu protocolo, porque a quantidade que uma pessoa detém não é levada em conta na hora em que as decisões deverão ser tomadas pela comunidade.

O único impacto que uma pessoa que detém quase 50% da oferta da moeda pode exercer, é no preço da moeda, caso ela decida por vender todos os seus Bitcoins, o preço dele irá cair, pois há mais moedas disponíveis no mercado, caso deseje apenas ter a posse, a moeda irá se valorizar, pois haverá menos Bitcoin no mercado.

Ouro e Bitcoin

Talvez estejamos vendo o surgimento do Ouro diante dos nossos olhos, no entanto, um ouro não-físico, mas digital. São muitas semelhanças do Bitcoin em relação ao ouro, que o levou a ser chamado de Ouro Digital, o que pode ser razoavelmente compreendido quando observamos os fatos: o ouro é extremamente escasso e a sua oferta é limitada pela natureza, suas características são imutáveis e estão garantidas pelas leis fisicoquímicas, a sua mineração se torna mais difícil e demanda cada vez mais recursos escassos com o passar do tempo, apesar de o ouro estar concentrado, não há exatamente um dono ou entidade central que seja capaz de controlar ou alterar suas características.

Observando as características do Bitcoin, também constata-se a semelhança: o Bitcoin é extremamente escasso, sua oferta é limitada através de um regra imutável em seu código, a sua mineração se torna mais difícil e demanda cada vez mais recursos escassos (eletricidade, computadores, espaço e capital humano) com o passar do tempo, apesar de o Bitcoin estar concentrado, não há um dono ou entidade central que seja capaz de controlar ou alterar suas características.

O ouro, tal como o Bitcoin, não possui nenhum lastro ou valor garantidos por uma entidade central ou governo. O seu valor é puramente subjetivo, e com o passar do tempo, suas características, tais como: divisibilidade, escassez e meio de troca aceito universalmente, permitiram com que ele ganhasse espaço na sociedade, servindo como meio de troca, tornando-se lastreado em outros meios de troca que vieram antes dele, como por exemplo: trigo, couro e outras commodities que eram usadas como meio de troca antes do surgimento de moedas metálicas.

Mais sobre ouro e bitcoin:
https://blog.foxbit.com.br/bitcoin-vs-ouro-qual-e-o-melhor-investimento/

Em termos de comparação, o Bitcoin perde para o ouro apenas por não existir fisicamente, no entanto, ele é altamente divisível (em até 8 casas decimais), é mais fácil de transportar, oferece mais facilidades para transacionar e pode ser considerado mais seguro. Como o Ouro é um ativo bem valioso, o mesmo acaba sendo alvo de roubos, fazendo com que o seu detentor tenha de contratar os serviços de custódia.
O Bitcoin, por outro lado, apresenta maior segurança, pois nenhuma pessoa pode se apropriar dele sem possuir a chave privada da carteira do detentor, fazendo com que não seja necessário contratar um serviço de custódia. Basta o dono não relevar a chave privada e mantê-la em um local seguro, desta forma já se elimina o custo de segurança que o ouro carrega consigo.

Além disso, o Bitcoin pode ser transacionado para qualquer lugar do mundo, mais rapidamente e com menos custos do que o Ouro por ser um ativo digital. Portanto, o Bitcoin se torna superior quando precisa-se transacionar, transportar ou até mesmo estar em posse, pois oferece mais segurança e comodidade. No entanto, o objetivo deste artigo não é dizer que o Ouro seja um ativo ruim, pelo contrário. O ouro é um ativo fantástico, de alto valor, e deve compor qualquer portfólio de investimento, tal como o Bitcoin.

O fato é que estamos vendo o surgimento de uma nova classe de ativos que está intrigando pessoas, banqueiros e autoridades ao redor do mundo. As pessoas podem ser de fato o seu próprio banco e realizar transações com uma moeda ao redor do mundo sem a necessidade de um intermediário. O que o futuro nos reserva?