O que é o Inverno Cripto?

jul 15, 2022 | Educação Financeira, Finanças, Outras categorias

Foto de Kimon Maritz (@kimonmaritz) em Unsplash (https://unsplash.com/es/fotos/1-ISIwuBMiw)

O inverno cripto marca aquele momento tenebroso de um ciclo de mercado onde as criptomoedas passam por longos períodos de queda e lateralização, trazendo prejuízo, medo, dúvida e incerteza para os investidores – quando muitos se encolhem, fugindo do frio e apenas desejando que ele passe o quanto antes.

O inverno cripto também pode ser chamado de bear market (mercado dos ursos, em inglês) ou mercado de baixa, quando a tendência dominante dos preços é de baixa, criando uma boa oportunidade de lucro para os short-sellers, também conhecidos como ursos (bears) do mercado, que apostam na queda de preço com operações de venda a descoberto.

Por que é chamado de inverno cripto?

O termo “inverno” é chamado para descrever um momento de “pobreza” que requer preparação. E também é utilizado no mercado financeiro tradicional pelo mesmo motivo.

Aqui no Brasil nós não temos longos e rigorosos invernos e o avanço tecnológico e social têm colaborado para fazer com que essa estação do ano prejudique cada vez menos as pessoas que vivem em países realmente afetados por ela.

Em épocas passadas, a vinda do inverno era realmente muito temida pela população. Este fato é muito bem ilustrado nos livros de George R. R. Martin e na série da HBO: Game of Thrones (Jogo dos Tronos) – com a famosa frase: “Brace yourselves, winter is coming!”; que traduzido para o português significa algo como “Preparem-se, o inverno está chegando!”.

O inverno pode ser uma estação perigosa, principalmente para aqueles que não se preparam adequadamente para ele, pois plantações são perdidas, pessoas ficam doentes com mais facilidade, a locomoção fica prejudicada, o corpo gasta mais energia e é mais difícil até mesmo respirar, em alguns casos muito extremos.

No reino animal, muitas criaturas passam o ano todo se preparando para a chegada do inverno, onde alguns animais até mesmo se alimentam a mais do que o necessário conforme essa estação se aproxima, para criar camadas extra de gordura e hibernar por toda a duração do inverno – economizando energia e comida, enquanto se protegem do frio em locais seguros.

Foto de Daniele Levis Pelusi (@yogidan2012) Unsplash (https://unsplash.com/es/fotos/WxmZT3sIe4g)

Como sobreviver ao inverno cripto?

O inverno cripto não é muito diferente das situações que descrevemos acima e podemos aprender com nossos antepassados e com os ursos e outros animais qual a melhor forma de sobreviver ao inverno cripto.

Para melhorar as chances de sucesso, o investidor precisa fazer um trabalho constante de gestão de risco e reserva de emergência nos momentos de fartura – além de controle emocional quando o inverno cripto chegar.

Gestão de Risco

Uma gestão de risco correta ajuda o investidor a se expor em diferentes projetos que podem ter resultados diferentes durante um mercado de baixa, ou inverno cripto.

Ao diversificar o portfólio também é importante levar em conta seu próprio perfil de investidor, evitando alocações de capital que possam trazer desconforto emocional e, com isso, fazer com que más decisões sejam tomadas no momento de “aperto”.

Aqui vale aquela famosa frase do mercado cripto: “Você deve investir o dinheiro da pinga e não o dinheiro do leite”. Ninguém gosta de perder dinheiro e todos esperam ter resultados positivos quando investem, mas é importante investir apenas aquele dinheiro que você pode perder, ou ficar sem liquidez por longos períodos, sem graves consequências em sua vida pessoal.

A gestão de risco pode se assemelhar a construir uma casa resistente ao frio e comprar agasalhos de acordo com a temperatura esperada.

Foto de Wonderlane (@wonderlane) em Unsplash (https://unsplash.com/es/fotos/N-weYKE0_Qg)

Reserva de emergência, a “gordura para queimar”no inverno cripto

A reserva de emergência é normalmente tratada apenas como aquele “dinheirinho extra” que você deixa no banco ou em alguma aplicação de baixa volatilidade e alta liquidez para poder usar durante emergências. O que é correto, mas ela pode ir além disso.

Na primavera, verão e outono cripto é possível juntar uma outra forma de reserva financeira em preparação para o inverno cripto, da mesma forma como um urso come mais nas outras estações, aumentando o volume de comida conforme o inverno se aproxima.

O objetivo é criar uma “gordura extra” nos momentos positivos, para não se desesperar nos momentos negativos.

Com uma reserva de emergência, o investidor pode até mesmo se dar ao luxo de “hibernar”, caso não se sinta confortável operando em um mercado de baixa.

Da mesma forma como o urso come mais do que o normal e como nossos antepassados acumulavam comida extra na despensa, em preparação para as noites frias de tempestades e nevascas, o investidor pode (e deve) realizar o lucro de forma parcial sobre sua carteira de investimentos enquanto os preços estão subindo.

Isso significa montar um plano e definir alvos de preço onde serão realizadas pequenas vendas parciais dos ativos, com o objetivo de aumentar as reservas e poder aproveitar as boas oportunidades de compra que surgirão durante o inverno cripto.

Controle emocional e tomada de decisão

Até agora só falamos do que pode ser feito antes do inverno cripto para melhorar as chances de sobrevivência (e lucro) quando ele chegar, mas por melhor preparado que você esteja, o bear market ainda pode ser muito cruel, balançando o emocional da mente mais forte e até mesmo o investidor mais bem preparado.

Uma coisa é conhecer a teoria, instalar sistema de calefação na casa com isolamento térmico, comprar agasalhos e armazenar comida extra na cozinha, mas quando a neve chega e você olha para a janela, vendo ruas interditadas, carros cobertos, ventos que parecessem sussurros fantasmagóricos, notícias de desastres por conta do frio e se dá conta que está “preso” dentro de casa – o emocional pode ser traiçoeiro.

O mesmo pode acontecer no inverno cripto.

O investidor se prepara, faz sua gestão de risco adequada o ano inteiro, monta sua reserva de emergência e sua reserva para compra de lucro realizado… Mas quando o mercado de baixa toma conta, decisões ruins começam a acontecer e se acumular.

Operações alavancadas, compras e vendas em momentos errados, negação, pânico, raiva e capitulação (venda no prejuízo) são muito comuns, mesmo entre os traders mais experientes.

É por isso que o controle emocional é importante. Rever os planos e, muitas vezes, aprender a hibernar – como um urso.

Muitos investidores decidem realmente se afastar completamente dos gráficos e das notícias durante o inverno cripto, para evitar serem traídos por sua emoção. Eles se colocam em “hibernação” esperando o momento ruim passar e o sol voltar a nascer no horizonte.

Inverno é só uma estação fria dentro de um ciclo de mercado

É importante ser consciente de que o inverno cripto é apenas uma estação fria dentro de um ciclo de mercado completo.

Da mesma forma como nós temos certeza que o inverno vai chegar após o outono e vai terminar, com a vinda da primavera, o investidor precisa ter a convicção de, mercados de alta (bull market – mercado de touros) são passageiros, assim como os mercados de baixa (bear market).

Não existe alta infinita e também não existe baixa infinita.

Muitas vezes pode parecer que um ativo, como o Bitcoin (BTC), por exemplo, vai subir para sempre. Outras vezes pode parecer que ele vai cair totalmente até zero e nunca mais se recuperar, mas a primavera volta a florescer em algum momento. É preciso paciência no inverno cripto.

Últimos posts

SatoshiCall

Quer ficar por dentro das principais notícias do mercado?

Deixe o seu e-mail* ao lado e receba o SatoshiCall, nossa newsletter diária com as principais notícias do mercado financeiro.