Tether: o novo token listado na Foxbit!

Tether: o novo token listado na Foxbit!

Seguindo o nosso trabalho de constante melhoria na plataforma para torná-la mais atrativa, apresentamos à vocês o Tether, o novo utility token listado na Foxbit.

Estamos sempre escutando todos os feedbacks e sugestões de vocês e o que mais nos pedem é: criptoativos novos no book!

Com a inclusão desse novo criptoativo, agora a Foxbit passa a ter sete em sua plataforma: Bitcoin, Ethereum (Ether), Litecoin, TrueUSD, XRP (Ripple), Chainlink (LINK) e Tether (USDT).

Mas calma que não para por aí, com a inclusão de Tether na Foxbit agora temos também pares cripto/cripto no book: BTC x USTD e ETH x USDT. 

Ah! E por enquanto ainda não é possível sacar o Tether, o token está disponível somente para depósitos, compras e vendas.

O que é Tether?

Tether é um utility token baseado em uma plataforma de tecnologia blockchain na qual as moedas digitais em circulação são lastreadas em uma quantidade equivalente de moedas fiduciárias tradicionais – no caso o dólar que são mantidos em uma conta bancária designada. Os tokens Tether, são negociados com o símbolo USDT.

Diante de um mercado de preços volátil, um vendedor pode e deverá ficar cético ao negociar bens e serviços por medo de perder valor devido à alta modificação diária de preços – uma das razões pelas quais as criptomoedas ainda não foram amplamente adotadas. Claramente, eles são avessos ao poder de compra que a volatilidade pode proporcionar.

Aqui aparece a primeira grande vantagem do uso do tether, vantagem essa que as moedas tradicionais não oferecem, por ser uma moeda estável, possui valor na conversão para moedas fiduciárias, para dessa forma, facilitar operações de pagamentos.

O Tether ocupa o 5º lugar entre os mais altos valores de mercado (cerca de US$ 51,013,755,699 bilhões) em 29/04/2021.

Seu valor, contudo, é igual a 1 dólar, visto que o Tether é lastreado na moeda norte-americana. É também a stablecoin mais popular do mundo e até atua como uma substituição do dólar em exchanges internacionais. Ser lastreado pelo dólar significa que para cada Tether emitido, há uma quantia equivalente em dólares mantidos em reserva.

Legal né? Quer saber mais benefícios do Tether?

Fizemos um post completo pra você! Clique aqui e saiba tudo sobre o Tether, o novo token listado na Foxbit.

O que é UNI?

O que é UNI?

UNI é o token de governança da corretora descentralizada Uniswap. Com ele você pode ajudar a guiar as decisões da corretora, votando em melhorias e novos projetos. É como se você tivesse uma ação ordinária na Bolsa de Valores, apenas com direito a voto. 

Mas para entendermos o valor da UNI precisamos conhecer um pouco da Uniswap. 

Quais as vantagens da Uniswap ?

A Uniswap é um protocolo criado na rede Ethereum para permitir o trade automatizado de tokens usando a tecnologia do blockchain, de uma maneira aberta, segura e que fosse capaz de resolver os problemas de liquidez no mercado. 

O projeto foi lançado em 2018 e cresceu no “boom” das DeFis em 2020, sendo o terceiro projeto mais importante no mercado de finanças descentralizadas com o equivalente a US$5,74 bilhões em valores alocados. 

O token UNi foi visto como uma ótima oportunidade por muitos investidores de participar do futuro das finanças descentralizadas, com isso, a UNI ganhou mais de 400% de valorização nos últimos 200 dias.

Gráfico da UNI – Fonte: Coinmarketcap

Quem está trabalhando na UNI? 

A Uni foi desenvolvida por Hayden Adams com a tutela do criador do Ethereum Vitalik Buterin. 

Adam é um programador formado em Engenharia Mecânica, com experiência de trabalho na Siemens e na área de pesquisa pela Columbia University Medical Center. 

O protocolo é completamente aberto, ou seja, qualquer um dos milhares de usuários pode sugerir uma melhoria e ela será implementada se os donos do token UNI votarem a favor. 

Quais são as carteiras de UNI?

Você pode guardar UNI em qualquer carteira que receba tokens ERC20, como a Ledger e Metamask.

Como comprar Ethereum na Foxbit?

Como comprar Ethereum na Foxbit?

Aprenda como comprar e vender Ethereum no Brasil usando reais (BRL) e saiba das informações mais importantes para você ter uma boa negociação do criptoativo. 

Para que serve o ether? 

O ether, ativo principal por trás da rede Ethereum, foi um dos ativos que mais se valorizou nos últimos anos e sua procura continua em alta. Com contratos inteligentes, aplicativos e finanças descentralizadas, o Ethereum conseguiu atrair uma enorme base de desenvolvedores e usuários. 

Todos eles precisam comprar ether (eth) para pagar pelo poder computacional usado neste blockchain. Devido a essa enorme demanda, o ether é o segundo maior criptoativo em valor de mercado, perdendo apenas para o bitcoin. 

Quando você ouve falar em negociações de Ethereum, é muito provável que a referência seja ao ether. 

Então, como negociar Ethereum (ether) de forma segura e barata? 

Como comprar ether de forma segura?

A compra de ether no Brasil está cada vez mais popular. Tudo isso graças a plataformas seguras de investimentos, as exchanges – que fazem a ponte entre compradores e vendedores. 

Para comprar ethereum de forma segura é importante ver o tempo em que a empresa está no mercado, se seus fundadores são figuras públicas e as notas nas redes sociais.

A Foxbit, por exemplo, já atua a mais de 6 anos no mercado nacional de criptoativos. Também contamos com o selo RA1000 do ReclameAqui, isso significa que nosso atendimento é um dos melhores do Brasil. 

Mas não adianta um bom atendimento e tradição de mercado se os valores da empresa não forem bons. Em 2020, a Foxbit foi eleita uma das empresas mais éticas no mercado financeiro.

Além de tudo isso, os contratos inteligentes da Foxbit são segurados pela BitGo – garantindo mais segurança para nossos usuários. 

Como comprar Ethereum (ether) na prática? 

Para negociar o  Ethereum (ether) basta ter uma conta na Foxbit, depositar o valor desejado e fazer a compra.

É muito fácil! Vamos te mostrar o passo a passo. 

Primeiramente, crie ou entre na sua conta da Foxbit.

Na plataforma, vá no menu do lado esquerdo e escolha a opção Depositar | Sacar

Então, clique em Depositar e escolha a opção Real (R$). 

Escolha seu método de pagamento (PIX, depósito express, depósito comum ou em espécie) e faça a transferência dos valores conforme é indicado na sua tela. 

Se o depósito for feito via PIX ele cairá rapidamente e restará apenas comprar o ether. Para isso, vá em Comprar | Vender no menu esquerdo e depois escolha a opção ETH.

Pronto! Agora basta selecionar os valores e apertar o “Comprar”. Fácil, rápido e seguro.

Você também pode usar o “Livro de Ofertas”, ele conta com vários recursos e gráficos que podem te ajudar na hora das negociações de criptoativos. 

Ficou com alguma dúvida? Veja nossa página “Perguntas Frequentes” ou fale com a gente.

O que é Cosmos (ATOM) ?

O que é Cosmos (ATOM) ?

A tecnologia blockchain, desenvolvida inicialmente por Satoshi Nakamoto com o Bitcoin, resolve uma série de problemas do mundo real. Contudo, essa tecnologia pode ser considerada muita cara e lenta, onde a otimização desses protocolos é algo muito almejado.

Nesse sentido, a blockchain Cosmos busca promover melhorias nos blockchains “lentos, caros, não escaláveis e ambientalmente prejudiciais ”. Além também de propiciar uma rede de comunicação e de troca de ativos entre as redes descentralizadas.

A ATOM é a criptomoeda nativa da blockchain Cosmos. A rede se define como: “A Internet das Blockchains” que funciona através do IBC, um protocolo que cria uma espécie de interblockchain para comunicação entre as redes descentralizadas.

A rede permite a troca de ativos de diferentes blockchains através de uma bolsa descentralizada “com taxas muito baixas e confirmação de transação instantânea”, segundo o site oficial do projeto. As transações na rede demoram em média 7 segundos para serem confirmadas. 

Em breve, Bitcoin e Ethereum embrulhados estarão disponíveis para troca na plataforma de maneira rápida e sem os custos da rede principal dessas blockchains.

Quais as vantagens da ATOM?

As taxas de transferência de ativos nas redes principais das blockchains pode de fato ser um problema. A rede Ethereum está atualmente com uma taxa média de US$15 para uma transação rápida, o que pode inviabilizar e reduzir as operações na rede.

Nesse sentido, as soluções que promovem escalabilidade e descongestionamento podem ser muito bem vistas, especialmente em momentos na qual as redes se encontram em capacidade máxima. 

Através da Cosmos SDK, os desenvolvedores podem programar aplicativos descentralizados para funcionar na rede. Até o momento, mais de 200 aplicativos e serviços estão sendo executados na Cosmos.

Quem está trabalhando com a ATOM? 

O desenvolvimento da Cosmos é mantido principalmente pela Tendermint e pela Interchain, uma instituição voltada para construção de uma infraestrutura de interconexão entre protocolos descentralizados.

“Acreditamos que redes econômicas de código aberto, criptográficas e consensuais detêm a chave para um sistema econômico global antifrágil e oportunidades iguais para todos. Nosso foco atual está na tecnologia de blockchain interoperável da Cosmos Network”, afirma a Interchain.

Qual o futuro da ATOM?

O desenvolvimento da rede Cosmos está ativo, e diversas funcionalidades devem ser adicionadas ao protocolo ao decorrer do tempo. Veja os projetos que irão ser implementados na rede:

  • Ethereum e Bitcoin embrulhados
  • Criação de pools de liquidez
  • Uma conta para gerenciar todos os seus ativos de diferentes blockchains
  • Plataforma para troca de itens colecionáveis

Caso o congestionamento de redes blockchain continue como um problema persistente para o futuro, a rede pode se beneficiar como uma alternativa de otimização.

Como a Cosmos se posiciona como uma rede verde, com baixíssima pegada de carbono, ela pode embarcar na onda de investimentos ecológicos.

Na recente expansão do mercado de criptoativos, onde costumeiramente as taxas de transação tendem a ir às alturas, a Cosmos se valorizou demasiadamente, com ganhos superiores a 750% no último ano, de acordo com dados do Coingolive.

Preço da ATOM. Fonte: Coinmarketcap.

Quais são as carteiras de ATOM?

A hardware wallet Ledger oferece suporte para o armazenamento da criptomoeda. Com a carteira Cosmos Wallet você pode guardar os seus ativos através de dispositivos móveis. Para desktop, a carteira Exodus oferece suporte para a criptomoeda.

Clicando nesse link você pode encontrar uma lista das carteiras mais recomendadas pelo site oficial do projeto.

Halving do bitcoin: Como estar preparado?

Halving do bitcoin: Como estar preparado?

O Bitcoin é uma moeda com características diferentes do que estamos acostumados, talvez, a principal delas seja sua quantidade finita e a taxa de emissão que cai pela metade a cada ~4  anos, o chamado halving.

O que é o Halving?

O halving do Bitcoin, é uma é uma característica que está encravada dentro do código da criptomoeda. Diferente dos sistemas monetários atuais nos quais os governos imprimem dinheiro sem parar, o bitcoin reduz sua emissão a cada 4 anos.

Estamos a poucos dias de um novo halving, no qual o total de bitcoins emitidos a cada dez minutos cairá de 12,5 para 6,25 bitcoins.

A Foxbit fez uma live sobre o tema do halving do Bitcoin, vale muito a pena assistir:

Mas hoje vamos falar das principais implicações do halving para o preço do Bitcoin. 

Histórico dos halvings

Até o momento tivemos apenas 2 halvings para  fazer uma comparação histórica. O primeiro halving aconteceu em 2012 e o segundo em 2016.

Em ambos os casos, vimos que o valor do bitcoin subiu consideravelmente e mudou seu patamar de preço.

Antes do primeiro halving o bitcoin era negociado nas dezenas de dólares, após ele começou a ser precificado na casa das centenas e por último nos milhares de dólares. 

Comparando o histórico do halving e fazendo algumas extrapolações foram criadas teses sobre o futuro da criptomoeda após esse evento.

Teses sobre o preço do Bitcoin após o halving

Há várias teses sobre o preço do bitcoin após o halving. Algumas positivas e outras nem tanto.

Modelo S2F:

Primeiramente vamos falar do modelo “Stock-to-flow” (S2F), muito disseminado por quem acredita que a criptomoeda irá subir para outro patamar de preço.

O S2F  não é uma ideia nova, o conceito foi criado antes do bitcoin para medir a escassez relativa de metais preciosos. 

A ideia básica do modelo é que o efeito da escassez no preço do BTC possa ser medido usando a atual oferta circulante de bitcoin e sua taxa de produção ou fluxo. O “stock” é o inventário da moeda e o flow é a quantidade minerada entrando no mercado a cada ano.

Dessa forma, o S2F nos dá o número de anos para a produção atual chegar no inventário disponível hoje. 

“A cada halving do bitcoin a taxa de escassez dobra e o valor de mercado aumenta 10x, esse é um fator constante.”, diz o analista Plan B.

De acordo com o pesquisador Plan B e utilizando da taxa de escassez, o bitcoin cresceria em outra ordem de magnitude, podendo chegar as centenas de milhares de dólares no futuro. 

Falhas do modelo S2F?

Detratores do modelo dizem que o S2F tem poucos fundamentos. Para eles, a correlação vista até agora entre preço e supply não é suficiente e poderia ser coincidência.

Além disso, o halving do Bitcoin é algo que todos os milhares de empresas e pessoas sabem que vai acontecer. Por isso, talvez o impacto já tenha sido colocado no preço do ativo.

Pressão dos mineradores

Outra tese sobre o que vai acontecer com o preço do bitcoin após o halving está relacionada na redução da pressão de venda dos mineradores. 

Os mineradores de bitcoin têm um influxo recorrente de moedas, contudo, eles precisam vender boa parte das moedas para pagar suas contas de eletricidade em fiat money (yuan, euro e dólar). 

Depois do halving eles terão metade do bitcoin para vender, ou seja, uma pressão menor. Diariamente são produzidos ~1800 BTC, com o preço em US$9 mil temos um total de US$16.200,00 de pressão diária ou US$5.913.000.000 por ano. 

A ideia básica é que os mineradores parem de vender tanto e isso deixaria margem para um aumento de preço se a demanda continuar a mesma ou aumentar.

Entretanto, como o Cointimes mostrou na reportagem sobre o indicador de Inventário dos Mineradores (MRI), eles muitas vezes não exercem uma pressão constante na venda. Isso acontece pois muitos deles estão minerando com visão no longo prazo.

Fazendo uma relação entre o preço e o MRI, vemos que os mineradores tendem a vender quando o mercado consegue absorver a demanda.

Empresas como Bitmain, Blockstream (que vai abrir em breve sua fazenda de mineração) e tantas outras, têm dinheiro suficiente para manter seus bitcoins por muito tempo e aguardar uma alta para despejá-los. 

E agora. qual será o preço do Bitcoin?

Agora que você viu as principais teses e contrapontos sobre o halving do Bitcoin, o que esperar do preço?

Não sabemos se o preço do bitcoin vai se manter, subir ou descer. Você pode se apoiar em uma das narrativas acima, mas vale ressaltar que o fenômeno do halving e o efeito no preço é algo muito novo.

Qual sua opinião sobre o preço do Bitcoin no período pós-halving?