Halving do bitcoin: Como estar preparado?

Halving do bitcoin: Como estar preparado?

O Bitcoin é uma moeda com características diferentes do que estamos acostumados, talvez, a principal delas seja sua quantidade finita e a taxa de emissão que cai pela metade a cada ~4  anos, o chamado halving.

O que é o Halving?

O halving do Bitcoin, é uma é uma característica que está encravada dentro do código da criptomoeda. Diferente dos sistemas monetários atuais nos quais os governos imprimem dinheiro sem parar, o bitcoin reduz sua emissão a cada 4 anos.

Estamos a poucos dias de um novo halving, no qual o total de bitcoins emitidos a cada dez minutos cairá de 12,5 para 6,25 bitcoins.

A Foxbit fez uma live sobre o tema do halving do Bitcoin, vale muito a pena assistir:

Mas hoje vamos falar das principais implicações do halving para o preço do Bitcoin. 

Histórico dos halvings

Até o momento tivemos apenas 2 halvings para  fazer uma comparação histórica. O primeiro halving aconteceu em 2012 e o segundo em 2016.

Em ambos os casos, vimos que o valor do bitcoin subiu consideravelmente e mudou seu patamar de preço.

Antes do primeiro halving o bitcoin era negociado nas dezenas de dólares, após ele começou a ser precificado na casa das centenas e por último nos milhares de dólares. 

Comparando o histórico do halving e fazendo algumas extrapolações foram criadas teses sobre o futuro da criptomoeda após esse evento.

Teses sobre o preço do Bitcoin após o halving

Há várias teses sobre o preço do bitcoin após o halving. Algumas positivas e outras nem tanto.

Modelo S2F:

Primeiramente vamos falar do modelo “Stock-to-flow” (S2F), muito disseminado por quem acredita que a criptomoeda irá subir para outro patamar de preço.

O S2F  não é uma ideia nova, o conceito foi criado antes do bitcoin para medir a escassez relativa de metais preciosos. 

A ideia básica do modelo é que o efeito da escassez no preço do BTC possa ser medido usando a atual oferta circulante de bitcoin e sua taxa de produção ou fluxo. O “stock” é o inventário da moeda e o flow é a quantidade minerada entrando no mercado a cada ano.

Dessa forma, o S2F nos dá o número de anos para a produção atual chegar no inventário disponível hoje. 

“A cada halving do bitcoin a taxa de escassez dobra e o valor de mercado aumenta 10x, esse é um fator constante.”, diz o analista Plan B.

De acordo com o pesquisador Plan B e utilizando da taxa de escassez, o bitcoin cresceria em outra ordem de magnitude, podendo chegar as centenas de milhares de dólares no futuro. 

Falhas do modelo S2F?

Detratores do modelo dizem que o S2F tem poucos fundamentos. Para eles, a correlação vista até agora entre preço e supply não é suficiente e poderia ser coincidência.

Além disso, o halving do Bitcoin é algo que todos os milhares de empresas e pessoas sabem que vai acontecer. Por isso, talvez o impacto já tenha sido colocado no preço do ativo.

Pressão dos mineradores

Outra tese sobre o que vai acontecer com o preço do bitcoin após o halving está relacionada na redução da pressão de venda dos mineradores. 

Os mineradores de bitcoin têm um influxo recorrente de moedas, contudo, eles precisam vender boa parte das moedas para pagar suas contas de eletricidade em fiat money (yuan, euro e dólar). 

Depois do halving eles terão metade do bitcoin para vender, ou seja, uma pressão menor. Diariamente são produzidos ~1800 BTC, com o preço em US$9 mil temos um total de US$16.200,00 de pressão diária ou US$5.913.000.000 por ano. 

A ideia básica é que os mineradores parem de vender tanto e isso deixaria margem para um aumento de preço se a demanda continuar a mesma ou aumentar.

Entretanto, como o Cointimes mostrou na reportagem sobre o indicador de Inventário dos Mineradores (MRI), eles muitas vezes não exercem uma pressão constante na venda. Isso acontece pois muitos deles estão minerando com visão no longo prazo.

Fazendo uma relação entre o preço e o MRI, vemos que os mineradores tendem a vender quando o mercado consegue absorver a demanda.

Empresas como Bitmain, Blockstream (que vai abrir em breve sua fazenda de mineração) e tantas outras, têm dinheiro suficiente para manter seus bitcoins por muito tempo e aguardar uma alta para despejá-los. 

E agora. qual será o preço do Bitcoin?

Agora que você viu as principais teses e contrapontos sobre o halving do Bitcoin, o que esperar do preço?

Não sabemos se o preço do bitcoin vai se manter, subir ou descer. Você pode se apoiar em uma das narrativas acima, mas vale ressaltar que o fenômeno do halving e o efeito no preço é algo muito novo.

Qual sua opinião sobre o preço do Bitcoin no período pós-halving? 

E se parte dos mineradores desligassem as máquinas após o halving?

E se parte dos mineradores desligassem as máquinas após o halving?

Temos realizados algumas lives com intenção de levar o melhor aprendizado com conteúdo de qualidade para as pessoas. No dia 11/02 rolou uma live com o tema Halving do bitcoin, na qual muitas perguntas relevantes foram levantadas pelos espectadores e uma delas chamou a atenção: o que aconteceria com o bitcoin se parte dos mineradores desligassem as máquinas após o halving? 

Nosso CSO, Felipe Trovão, respondeu:  

“O software do Bitcoin tem uma regra em relação à quantidade de hashes, poderíamos traduzir isso de forma simplificada como quantidade de mineradores dedicando poder computacional à rede, sendo executados pelos nós dos mineradores. Essa regra ajusta a dificuldade para encontrar blocos na rede e, assim, encontrar bitcoins.

Caso a quantidade de mineradores diminua o próprio software diminuirá a dificuldade, portanto, os blocos serão encontrados com menos atividades de mineração na rede, ou seja, menos hashes. Nesse momento pode ser atrativo ao minerador ligar novamente suas máquinas pois ele tem maiores chances de encontrar blocos e se recompensado, no caso, com bitcoins.”

Ou seja, mesmo com a diminuição das recompensas no halving a rede do Bitcoin têm mecanismos de incentivo para que os mineradores continuem fazendo seu trabalho.

Historicamente, antes do halving em 2016 a taxa de hashrate era de 1,35 Exahash (um quintilhão de hashes por segundo), já nos dias de hoje esse número é de 116,09 quintilhões, um crescimento de 8499.25%.

Conforme vimos no decorrer do texto, a rede do bitcoin continuará em funcionamento mesmo se boa parte dos mineradores desligassem as máquinas. 

Para mais informações e conteúdos educativos, acompanhe nosso blog e nos siga em nossas redes sociais

Tendência de valorização do bitcoin em 2020, o que será que vai acontecer pós halving?

Tendência de valorização do bitcoin em 2020, o que será que vai acontecer pós halving?

Está chegando próximo ao halving do bitcoin, que acontecerá em maio/2020, e a dúvida que surge nesse momento é: O que acontece pós halving? Mas para isso primeiramente você tem que saber.

O halving ocorre a cada 210.000 blocos, aproximadamente a 4 anos, nele ocorre a redução do prêmio por bloco minerado, através do processo chamado de mineração. Hoje o prêmio está em 12,5 bitcoins por bloco e será de 6,25 bitcoins a partir do bloco 630.000.

Mineração é o processo de doar poder computacional para gerar blocos (lotes de transações) e receber uma recompensa em bitcoins cada vez que um bloco válido é encontrado.

O gráfico abaixo mostra o histórico de recompensas nos halvings nos anos anteriores. 

Na visão geral dos investidores e entusiastas o halving é considerado um evento que valoriza o bitcoin, pois conforme os eles vão acontecendo, é reduzido o prêmio por bloco minerado, o que causa uma enorme chance de valorização do criptomativo devido a escassez.

Quantos halvings de bitcoin já aconteceram anteriormente? 

Já houveram dois desde a criação do bitcoin, aconteceram em novembro de 2012 e julho de 2016, tem o espaço de tempo de quatro em quatro anos. Está programado para acontecer apenas 32 eventos de halvings no total, depois do último halving programado, todos os 21 milhões de bitcoins já terão sido descobertos.

O que aconteceu no último halving

Como mostra o gráfico abaixo, devido o bitcoin ser um criptoativo com um limite máximo a ser atingido, ou seja, finito, um dia ficará escasso e usando o exemplo do ouro, o que é escasso tem muito valor. Analisando os halvings dos anos anteriores o seu valor aumentou de forma considerável, como a lei da oferta e demanda exige.

Aproveite para negociar seus bitcoins antes do halving, e não deixe de seguir nossas redes sociais e acompanhe nosso blog para mais conteúdos educativos.

Por que o preço do bitcoin sobe a cada ano?

Por que o preço do bitcoin sobe a cada ano?

Quando o bitcoin foi criado, em 2009, não era negociado em nenhuma exchange como hoje em dia, ele tinha um valor muito baixo, para se obter o criptoativo você precisava fazer o processo de mineração. Em 2009, o bitcoin valia $0 doláres, seu primeiro valor foi registrado em 2010, onde 1 bitcoin não valia nem $1 dólar, seu maior valor foi de $0,39. 

Segue o histórico dos preços do bitcoin desde a sua criação até os dias de hoje. 

Ok, agora que você já sabe quanto o bitcoin valia desde o começo de sua história, vamos entender como o valor dele é calculado para saber por que o preço do bitcoin acaba em alta anualmente.

Fator determinante para o preço do bitcoin

Enquanto que moedas fiduciárias tem um valor oficial, o valor do bitcoin é bem mais volátil, é muito comum vermos ele ser negociado com valores variados em diferentes exchanges, isso devido ao fator determinante que é baseado o seu valor, que é através da oferta e demanda. 

Oferta e Demanda

É o fator fundamental para a determinação de muitos ativos, não só do bitcoin. Esse valor é “definido” no ponto de encontro entre a demanda de quem está comprando com o fornecimento de quem está vendendo. 

Escassez do criptoativo 

A questão da escassez do criptoativo é tida como fundamental para o crescimento do valor do bitcoin, a sua disponibilidade é limitada e vista como uma coisa que pode se valorizar muito. Com o valor do bitcoin avançando, o ativo digital a está a cada dia mais próximo do seu ponto de saturação. O controle monetário é um recurso muito utilizado por governos e uma característica péssima para quem pretende criar reserva de valor, em um mundo onde os governos imprimem de forma ilimitada moedas fiduciárias, é interessante um ativo que tenha produção limitada. 

O bitcoin é uma moeda deflacionária, ou seja, a oferta é limitada e a quantidade de moedas em circulação só diminui com o passar do tempo. Outras características interessantes são: divisibilidade, incensurabilidade, descentralização, facilidade de transferência e durabilidade, fazendo com que seja uma excelente forma de reserva de valor.

Entradas em novos mercados 

Além dos especialistas e entusiastas inicialmente atraídos para o Bitcoin, como uma solução para problemas técnicos, econômicos e políticos, o interesse do público em geral têm historicamente sido estimulado por bloqueios bancários e crises de moedas fiduciárias.

Como podemos ver na imagem acima, o bitcoin e as criptomoedas estão cada vez mais presentes no mundo financeiro e a tendência é crescer cada vez mais. 

Aceitação da criptomoeda

O bitcoin funciona como ativo, meio de pagamentos, algumas pessoas gostam de utilizá-lo como reserva de valor, como dito acima, porém isso depende da aceitação no mercado dia a dia. O bitcoin está cada vez mais conhecido e pessoas estão vendo o seu valor e sua utilidade como um criptoativo. 

O bitcoin também está sendo usado como investimento e se consolidando no mercado e no mundo, está sendo muito procurado pelos investidores para eventuais crises de moedas fiduciárias.